ACIM apoia demandas da Associação Marauense da Pessoa com Deficiência

Entidade que representa os setores produtivos de Marau assegura parceria para a garantia de direitos e igualdade de oportunidades.

A Associação Comercial, Industrial, Serviços e Agropecuária de Marau - ACIM integra o grupo de entidades e representantes de setores que apoiam as demandas da pessoa com deficiência. A convite da Associação Marauense da Pessoa com Deficiência – AMPD, a gerente executiva da ACIM, Cristine Bragança Zeni, participa de reuniões mensais em que são firmados acordos de colaboração para viabilizar projetos e campanhas, no intuito de fomentar ações inclusivas, equânimes e de monitoramento à acessibilidade.

O mais expressivo objetivo da AMPD, de acordo com o presidente, Danilo Antonio Polachini, é mobilizar a sociedade civil organizada para pautar os desafios impostos pelas limitações das pessoas com deficiência – seja física, mental, intelectual ou sensorial - e unir esforços para a construção de novas políticas de participação. A partir da criação de um conselho deliberativo, foi proposto um cronograma de ações que prevê dois encontros por mês.

Segundo Cristine Zeni, com pleno aval do presidente Gustavo Ferreira, a ACIM integra o conselho e reconhece a importância de atuar em favor dos direitos à igualdade de oportunidades. “É, também, missão da ACIM zelar por valores e apoiar as causas sociais. Sabemos que, com a ajuda de nossos associados podemos ajudar e por isso nos integramos a este trabalho”, destacou Cristine. O primeiro encontro ocorreu no dia 30/01. O último compromisso do grupo foi no dia 03/02, na sede do Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS.

Atualmente, a grande perspectiva da AMPD é buscar recursos para a aquisição e manutenção de um veículo adaptado. O utilitário, segundo revelam membros da diretoria da entidade, é necessário, sobretudo, para a segurança dos portadores de deficiência, que, inclusive, muitas vezes, deixam até mesmo de fazer os tratamentos médicos e hospitalares por não terem condições para o devido deslocamento.